4 coisas que o cristão precisa saber antes de votar

Esse texto se baseia em uma curta série de vídeos postados no meu canal do YouTube, e reflete brevemente sobre o conteúdo de cada vídeo de uma forma que ajuda o cristão a exercer a sua vocação de votar nessa próxima eleição.

As eleições est˜ão chegando, e mais uma vez o cristão é chamado a exercer uma das suas principais vocações cristãs em meio à uma democracia: votar. No entanto, a responsabilidade que cada cristão encontra ao votar é frequentemente desconhecida em nossas igrejas e círculos cristãos. Votar é visto como algo que fazemos como cidadãos, não como cristãos. Mas, será que o voto de um cristão realmente não tem nada a ver com a fé que confessada em Cristo?

Nessa semana, eu postei uma pequena série de vídeos no meu canal do YouTube, e cada um desses vídeos trata de uma confusão comum entre cristãos em relação ao exercício de votar nas eleições.

1. Uma Vocação Cristã

A primeira coisa que um cristão precisa saber antes de votar é que ele estará exercendo uma vocação cristã diante da urna nesse próximo domingo.

Votar é uma vocação cristã | Cristão na Mídia — YouTube

Votar não é apenas algo que as leis do Brasil obrigam o cristão a praticar a cada dois anos. Ao invés disso, votar é uma oportunidade do cristão de cuidar da criação de Deus e amar o próximo que está em necessidade. E é por isso que votar é uma vocação cristã.

De acordo com a teologia luterana, principalmente vista nos escritos de Lutero, uma vocação é um chamado divino de Deus para as suas criaturas redimidas para servir o nosso próximo. Nessa vida, um cristão possui várias vocações ou chamados de Deus, tais como ser marido, esposa, pai, mãe, estudante, professor, etc. e, em cada uma dessas vocações, a ênfase não é o benefício próprio, mas sim o benefício do nosso próximo que precisa do nosso serviço. Assim, o marido busca o benefício da sua esposa e faz tudo o que ele pode na sua vocação como marido para amar ela e buscar o bem dela. O mesmo funciona para uma esposa em relação ao seu marido. Um professor ensina buscando o benefício do seu aluno a fim de que esse possa ser preparado para servir a sociedade em geral, enquanto um estudante cumpre a sua vocação de estudante ao se preparar da melhor forma possível a fim de servir o seu próximo em sua profissão no futuro emprego.

Ao aplicarmos isso para a prática de votar em eleições, o cristão reflete esse chamado de Deus para servir o próximo e cuidar daqueles que estão em necessidade. Especificamente, o cristão não vê o seu voto como algo sem importância, muito menos como algo que vai beneficiar ele mesmo durante os próximos anos. Mas, pelo contrário, o cristão entende que votar é uma vocação, isto é, um chamado de Deus para o benefício do nosso próximo.

Isso significa que o cristão irá buscar a sabedoria de Deus para exercer essa vocação.

2. Em quem eu devo votar?

Entender o seu voto como uma vocação ou chamado de Deus para amar o próximo e cuidar de tudo o que Ele criou evoca a pergunta sobre em quem eu devo votar. Afinal de contas, se eu devo votar de acordo com a vontade de Deus com a finalidade de beneficiar o meu próximo, em quem ou devo votar?

Em quem eu devo votar? | Cristão na Mídia — YouTube

Como eu falo no vídeo acima, escolher um candidato para confiarmos o nosso voto não deve ser algo feito de uma forma vaga ou mesmo sem a devida reflexão. O cristão não vota em alguém só porque é seu amigo ou conhecido; ele também não vota em alguém só porque os seus amigos vão votar naquele candidato; e o cristão não vota visando o seu benefício próprio.

Não. Escolher um candidato deve ser feito com base no seu plano de governo e ênfases para ajudar o próximo que está em necessidade.

Votar não é algo que o cristão faz com base na sua opinião pessoal, nem posição política, muito menos visando o seu benefício próprio.

Ao votar, o cristão olha para a realidade que ele encontra ao seu redor e se pergunta, “como eu posso ajudar o meu próximo por meio do meu voto?”

3. Cristão deve votar em candidato cristão?

Não. Embora um cristão possa votar em um candidato cristão, o motivo para esse voto não é simplesmente o fato que um candidato confessa a fé cristã, mas sim o fato que os projetos de governo e as ênfases desse candidato refletem a vontade de Deus para um governante desse mundo.

Cristão vota em cristão? | Cristão na Mídia — YouTube

Muitas vezes a falta de conhecimento sobre a vocação e chamado divino para votar leva um cristão a achar que a melhor coisa que ele pode fazer em uma eleição é votar em alguém que é cristão. No entanto, o fato de um candidato ser cristão não significa que o mesmo reflete a vontade de Deus para um governante. Especificamente, alguém que vai servir o bem comum, buscar justiça aos injustiçados, ajudar os que mais enfrentam necessidade, entre muitas outras coisas que são enfatizadas na vontade de Deus que encontramos nas Escrituras.

Infelizmente, eu reconheço que dificilmente um candidato irá refletir toda a vontade de Deus para a sua criação, e isso leva à tentação de pensar, “ah pelo menos esse candidato aqui é cristão!”

Eu entendo esse pensamento, mas devemos relembrar que votar precisa ser algo que refletimos à luz da vontade de Deus, e isso significa voltar à palavra de Deus e ver qual dos candidatos reflete mais aquilo que Deus quer para esse mundo.

No final, a decisão é pessoal, e a responsabilidade é de cada cristão. Por isso, ore para que Deus te dê sabedoria na hora de votar. Leia sobre os projetos de governo e ênfases dos candidatos. E escolha um candidato que você acredita que vai refletir mais a vontade de Deus no seu município, estado, ou país.

4. Cristão de verdade não vota na…

O quarto e último ponto que eu quero enfatizar nesse texto é em relação à muitas informações mentirosas e falsas que eu tenho visto na internet nos últimos tempos. Essas informações estão relacionadas à pergunta, “cristão vota na Esquerda ou na Direita?”

Cristão vota na Esquerda ou na Direita? | Cristão na Mídia — YouTube

Essa parte é um pouco polêmica. Isso porque muitos cristãos parecem estar convencidos que um “cristão de verdade” não pode votar em candidatos ou da Esquerda ou da Direita. No entanto, o que faz um candidato ser bom ou ruim não é ser de Esquerda ou de Direita, mas sim a intenção desses candidatos de servir os necessitados e cuidar da criação de Deus.

Como um irmão cristão afirmou essa semana em suas redes sociais, não acredite em informações que você recebe em grupos de WhatsApp ou mesmo notícias tendenciosas que estão em todas as partes das redes sociais atualmente. Ao invés disso, leia bons livros e se baseie na vontade de Deus que te chama para votar para o bem do seu próximo que está em necessidades.

Algumas sugestões para leitura:

Wholly Citizens, do teólogo luterano Joel Biermann — obra em inglês! — (https://www.amazon.com/Wholly-Citizens-Realms-Christian-Engagement-ebook/dp/B071Y46Y7R)

Espiritualidade da Cruz, do Gene Edward Veith Jr, disponível na Editora Concórdia (https://www.editoraconcordia.com.br/produtos/produto/id/2406/titulo/espiritualidade-da-cruz)

“Da Liberdade Cristã,” do reformador Martinho Lutero — disponível gratuitamente nesse link aqui — (https://issuu.com/unique-creations/docs/a-liberdade-crista-issuu)

Além dessas obras, há várias outras que dão uma perspectiva muito ampla sobre a vocação e vida cristã diante do voto eleitoral.

O que é importante ser destacado é que o cristão é justificado pela fé em Cristo, e o que faz ele ser um “cristão de verdade” não é votar para a Esquerda ou para a Direita, mas sim tudo aquilo que Cristo fez para a salvação e redenção do cristão. Ao pensarmos na vida cristã, o cristão reflete o comando de Deus de ser um sacrifício vivo que serve o próximo em tudo o que faz. E é isso que orienta o voto do cristão em uma eleição.

Palavras finais

Falar sobre a participação do cristão em assuntos Políticos é algo muito frágil na nossa igreja atualmente. Se alguém discorda de uma opinião sobre o assunto, é comum observar um cristão duvidando da fé do seu irmão. Parece que a base da fé cristão se tornou o voto para a Direita ou para a Esquerda. E isso é profundamente lamentável, e completamente errado.

Cada vez mais vejo a necessidade de falar sobre esse assunto, mas a cada palavra que eu pronuncio sobre o mesmo é uma comprovação que a igreja não está preparada para esse tipo de conversa. Parece que a posição política se tornou um novo ídolo que cristãos estão adorando hoje em dia ao invés de adorar o Deus que os criou e os redimiu por meio do seu Filho. E isso é uma realidade que eu não quero para a minha igreja, e algo que eu não desejo para os meus irmãos e irmãs em Cristo.

Ao abordarmos e refletirmos sobre esse assunto, precisamos lembrar que o objetivo não é estar certo, mas sim ser e permanecer fiel ao testemunho bíblico. Ser de Esquerda ou de Direita não faz alguém mais cristão ou menos cristão, muito menos faz alguém ser cristão ou não. O que torna e faz alguém ser cristão é a obra do Espírito Santo de matar o pecador e dar vida a uma nova criatura que vive pela fé em Cristo. Qualquer coisa além disso é ter um conceito errado sobre ser cristão.

Portanto, eu oro para que Deus dê sabedoria a todos os cristãos e todos os pastores para refletir sobre o assunto com sabedoria, seguindo a orientação do Espírito Santo e não a sua ideologia política. Não é algo fácil, mas é algo que certamente precisa ser feito diante do contexto que vivemos.


Me siga nas redes sociais!
Instagram https://www.instagram.com/alanfurst/
Twitter https://twitter.com/adfurst
Facebook https://www.facebook.com/alandiego.furst

Clique aqui para se inscrever no meu canal do YouTube === https://bit.ly/3kPkgmi

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s